Olá.

Bem-vindos ao nosso blog, estamos cheios de novidades frescas para lhe apresentar. 

À conversa com  Papaqueijo

À conversa com Papaqueijo

O meu nome é: Papaqueijo

Blog: O mundo dos queijos http://omundodosqueijos.blogs.sapo.pt

 

Porquê/como surgiu o blog?

Foi o modo mais simples de melhorar a forma de me expressar. Sou moderna, divertida (às vezes com humor negro) e muito esquecida. O blog permite-me assim dizer todas as parvoíces que acumulo no dia-a-dia, a maioria de forma sarcástica, escrever e publicar as coisas de que gosto muito (ou não) as coisas que faço, que conheço, que visito e a qualquer altura de forma muito rápida recordá-las, fingindo ter uma memória tão longínqua quanto os anos que o meu blog tem. 

 

Qual foi o post mais cool até hoje no teu blog?

Foram vários, mas assim de repente, recordo-me de um em Dezembro de 2009, quando disse o quanto me irritavam os dentistas e a mania parva de nos fazerem perguntas enquanto estamos com a boca aberta, dando-nos a única possibilidade de resposta breves e estranhas monossílabas, sem qualquer estruturação possível. (http://omundodosqueijos.blogs.sapo.pt/o-que-me-irrita-nos-dentistas-1161337)

 

Define a Ergovisão com 1 adjetivo: Elegância.

 

Quais os teus óculos de sol favoritos para o Verão de 2016?

Vogue,VO2869SB

 

Qual a primeira característica que procuras nuns óculos?

Proteção

 

Qual a história mais gira com uns óculos de sol?

Há muitos anos atrás em Andorra, estava eu no meu primeiro ano de ski, quando acordei e verifiquei que a manhã acordou encoberta. Aguentei-me firme e ainda assim, calcei as botas, peguei nos skis e sem os goggles, rumei até ao topo da montanha. Todos à minha volta questionaram-me, mas como a manhã estava encoberta, considerei estúpido levar proteção para os meus verdes olhos. A viagem correu bem até aos meios mecânicos, vangloriei-me cheia de razão por não levar os óculos de neve. Mas todo o meu entusiasmo escapuliu-se com a entrada na imensidão branca e gelada. Nesse instante senti-me a Sara Sampaio das passarelas, a quantidade de luz que esbarrou nos meus olhos foi similar a todos os holofotes de um estádio de futebol focados no meu nariz. Aguentei a viagem dos meios mecânicos até ao cimo da montanha, com a vergonha de quem tinha de dar razão a este mundo e ao outro. Meti-me no mesmo meio mecânico e desci em direção ao hotel, para naquela manhã encoberta proteger a visão de tanta luz. Os goggles eram mais prementes para qualquer um que desejasse esquiar, que a fotossíntese é para os agriões e coentros desta vida.

 

Sou uma Ergowoman porque visiono elegância sempre que coloco os meus óculos de sol.
À conversa Catarina Teixeira Queirós

À conversa Catarina Teixeira Queirós

À conversa com Inês Rio

À conversa com Inês Rio